Busca

Cinema em Palavras

Tag

Filme

De Repente Pai

De Repente Pai é foi lançado em 2013 com Vince Vaughn como protagonista.

O filme retrata a vida de um solteirão que trabalha nos negócios da família que descobre que sua namorada está grávida e que, devido a um erro na clínica de fertilização, seu esperma foi utilizado para gerar 533 crianças. Esses 533 filhos descobrem que seu pai é o mesmo e buscam por meio da justiça conhecê-lo.

O personagem de Vince Vaughn acaba ficando com uma pasta com os dados de seus filhos e decide ir atrás deles para ajudá-los, porém sem dizer que é o pai biológico deles.

O filme é bem engraçadinho, típico de sessão da tarde ou de filmes de domingo. Arranca algumas risadas e é bem leve. Nada para pensar demais, mas facilmente emociona.

Nenhuma ação se destaca, nenhum diálogo é muito memorável, mas é um filme que não cansa.

Nota de 0 a 10: 5

 

Anúncios

Steve Jobs

Steve Jobs é um filme que retrata a vida do fundador da Apple, porém, diferentemente do outro filme sobre sua vida (Jobs, 2013) estrelado por Ashton Kutcher, este não mostra a criação da empresa/conversas na garagem entre o mesmo e Wozniack. Este filme é muito mais voltado para o que acontecia nos bastidores dos principais lançamentos da empresa, a relação tempestuosa com sua família.

Outros fatos são abordados por meios de flashbacks/cenas paralelas àquelas dos bastidores. Entre elas: a demissão de sua própria empresa.

O filme, em si, não é lá muito bom. O roteiro é bem extenso e cansativo, mas a atuação de Michael Fassbender e Kate Winslet fazem aquelas duas horas de filme valerem a pena.

Ainda acho que a atuação de Fassbender não merece um Oscar (ele é um dos indicados ao Oscar 2016 por esse personagem), mas sua atuação é crível e incrível.

Ainda acredito que, mesmo mostrando os principais defeitos de Steve Jobs, o filme o trata como um herói e a idolatria é escancarada. A intenção inicial de mostrá-lo como uma “pessoa comum” desmorona ao decorrer do filme e então deixamos de ver o Steve Jobs como uma pessoa comum e arrogante e, então, enxergamos um Steve Jobs idolatrado e ainda arrogante.

 

Nota de 0 a 10: 8

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑